Última hora

Última hora

General Motors anuncia 12 mil supressões de emprego

Em leitura:

General Motors anuncia 12 mil supressões de emprego

Tamanho do texto Aa Aa

O número um mundial da indústria automóvel, o grupo norte-americano General Motors, vai suprimir 12 000 postos de trabalho nas filiais europeias, ou seja, um quinto da força de trabalho. O plano de reestruturação do grupo foi anunciado esta quinta-feira.

A factura mais pesada vai ser paga pelos trabalhadores alemães. A OPEL, divisão alemã do grupo, vai perder um quarto dos actuais 32 000 empregados. Klaus Franz, do sindicato IG Metall, diz que “fizeram propostas importantes à administração e estão dispostos a fazer algumas concessões, mas as coisas têm que ser resolvidas à europeia, ou seja, com diálogo e não com a estratégia do bulldozer que os patrões parecem ter”. As marcas europeias da General Motors estão a dar prejuízo, por causa de uma quebra na procura. O plano prevê reduzir os custos anuais em 500 milhões de euros, até 2006. Na Europa, a GM controla, na totalidade, as marcas Opel, Vauxhall e Saab. Detém ainda mais de metade da sul-coreana Daewoo e participações de 20 por cento na italiana Fiat e nas japonesas Subaru e Suzuki. A SAAB, divisão sueca do grupo, é a menos tocada por esta reestruturação. A fábrica de Trollhatan (Suécia) vai perder 500 trabalhadores. As maiores baixas são nas fábricas da Opel em Bochum e Ruesselsheim (Alemanha). A GM pretende concentrar o todo o fabrico de carros de média dimensão numa destas fábricas. Ao mesmo tempo que anunciou o plano, a GM Europa deu a conhecer também os resultados do segundo trimestre deste ano – um prejuízo de mais de 36 milhões de euros, enorme se comparado com os cerca de 2,5 milhões perdidos no mesmo período do ano passado.