Última hora

Última hora

Giulio Andreotti: Inocente mas não insuspeito

Em leitura:

Giulio Andreotti: Inocente mas não insuspeito

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo primeiro-ministro italiano Giulio Andreotti, aos 85 anos, continua a fazer jûs à sua alcunha de “inoxidável” ao conseguir refutar esta sexta-feira em tribunal as acusações de ligações à mafia.

O supremo tribunal italiano ditou a sentença que põe fim a um longo processo,que demorou onze anos e dois julgamentos até que o político conseguisse afastar, uma a uma, as suspeitas em torno da sua relação com os padrinhos da mafia. Reagindo ao veredicto, Andreotti, admitiu estar contente “por ter chegado vivo ao final dos dois julgamentos”. “Alguns pensavam que eu não ía resistir”,afirma ainda. Mas a batalha de Andreotti resulta apenas numa meia-vitória. Condenado em 2002pelo tribunal de Palermo a 24 anos de prisão por associação criminosa de tipo mafioso, Andreotti conseguiu esta sexta-feira ver-se absolvido da pena, mas não da culpa. À semelhança dos anteriores veredictos, a sentença do Supremo reforça a “disponibilidade amigável” do político com os padrinhos da mafia, antes de 1980. Um crime que mesmo prescrito nos tribunais, não apaga a aura de suspeição em torno do homem que foi sete vezes primeiro-ministro em Itália.