Última hora

Última hora

Trabalhadores europeus juntos contra plano de despedimentos da General Motors

Em leitura:

Trabalhadores europeus juntos contra plano de despedimentos da General Motors

Tamanho do texto Aa Aa

Cinquenta mil funcionários das três marcas europeias da General Motors (Opel, Vauxhall e Saab), mobilizaram-se, esta terça-feira, em todo o continente contra o plano de reestruturação do maior construtor automóvel do mundo.

Manifestações, paralizações, panfletos e reuniões, nas 11 empresas europeias do grupo tudo serviu para protestar contra a supressão de 12 mil, dos 63 mil, postos de trabalho na Europa. Aumenta, assim, a contestação iniciada na Opel na fábrica alemã de Bochum, cuja greve de vários dias obrigou já outras unidades a interromper a produção por falta de peças. Um trabalhador explica que estão na rua porque querem manter os empregos e prefere falar de acção de informação e não de greve, prometendo manter a luta até ao fim. É na Alemanha que a constestação é maior. Dos 12 mil postos a suprimir, dez mil são no país. As negociações estão em curso. O grupo americano mostra-se disposto a manter as unidades alemãs para além de 2010 e a impedir os despedimentos em troca do aumento da competitividade. O objectivo é poupar 500 milhões de euros até 2006, depois de cinco anos consecutivos de perdas.