Última hora

Última hora

Bush e Kerry ao ataque nos estados-chave

Em leitura:

Bush e Kerry ao ataque nos estados-chave

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a imprensa norte-americana denuncia as primeiras irregularidades eleitorais nalgumas mesas da Flórida, o presidente cessante tem as atenções viradas para este estado-chave.

George W. Bush voltou a apostar, esta terça-feira, numa imagem de chefe decidido e forte: “Se os Estados Unidos se mostrarem fracos e indecisos nesta década, o mundo irá dirigir-se para a tragédia. Isto não acontecerá sobre o meu comando.” Quanto ao candidato democrata John Kerry, concentrou-se, esta terça-feira, nos estados da Pensilvânia e Ohio. Kerry atacou a administração republicana de Bush pela intenção de privatizar a Segurança Social, pelo estado da economia e pela guerra contra o terrorismo. Na Pensilvânia, o democrata afirmou: “Acredito que precisamos de um presidente que defenda os Estados Unidos ao mesmo tempo que luta pela classe média”. A Flórida, a Pensilvânia e o Ohio são os três mais importantes Estados na corrida à Casa Branca. Corrida que tem sido seguida de perto pelos agentes de apostas no Reino Unido. Os apostadores parecem preferir George W. Bush. Rupert Adams, agente de apostas, explicou porque é que Bush e as eleições são tão populares: “Acreditamos que a indústria pode ter receitas de cinco milhões de libras com as eleições. Como Bush e o governo britânico têm trabalhado como aliados no Iraque, temos visto os jogadores a apostar em Bush.” Mas a fazer fé nas sondagens não há vitória que esteja garantida. Bush e Kerry continuam a aparecer equilibrados nas sondagens.