Última hora

Última hora

Medidas governamentais desaceleram crescimento chinês

Em leitura:

Medidas governamentais desaceleram crescimento chinês

Tamanho do texto Aa Aa

O crescimento económico da China abrandou no último trimestre. Este é o resultado de várias medidas, postas em prática pelo Governo, para arrefecer a Economia chinesa – a mais rápida, em termos de crescimento, de todo o Mundo.

Com este abrandamento, a administração de Pequim não precisa, para já, de tomar novas medidas para travar o crescimento exagerado. A economia chinesa cresceu 9,1 por cento no período entre Julho e Setembro, um número em queda em relação à primeira metade do ano. O governo chinês fixou, para o conjunto do ano, um objectivo de crescimento do PIB de sete por cento, o que não deve ser conseguido. Nos últimos dois anos, foi de oito e de nove por cento. Este crescimento é considerado demasiado alto e perigoso para a economia. Alan Wheatley, analista económico, diz que “tendo em conta a forma como a China se tornou um motor da economia global, países do Mundo inteiro seriam afectados por um abrandamento rápido no crescimento chinês”. Os esforços do Governo para controlar o crescimento económico não afectaram a produção industrial. Nos nove primeiros meses do ano, este indicador subiu 17 por cento em relação ao mesmo período do ano passado. Os Estados Unidos continuam a fazer pressão sobre Pequim para flexibilizar a moeda nacional, o yuan, que há mais de dez anos tem uma taxa praticamente invariável face ao dólar.