Última hora

Última hora

Eurodeputados reagem na véspera do voto sobre a Comissão

Em leitura:

Eurodeputados reagem na véspera do voto sobre a Comissão

Tamanho do texto Aa Aa

Os 88 eurodeputados liberais podem fazer pender a balança. Apoiaram a nomeação de Durão Barroso para presidente da Comissão, mas agora não gostaram das declarações ultra-conservadoras de Buttiglione.

No entanto, o líder do grupo, o escocês Graham Watson, decidiu “dar o benefício da dúvida” à Comissão Barroso: “Vou aconselhar os meus colegas a votarem a favor da nova comissão. Mas receio que só convença 50% dos deputados do meu grupo. Acho que alguns acreditam que o estatuto do Parlamento sairá reforçado se chumbarem a Comissão.” Os Verdes vão votar contra, mas a co-presidente, a italiana Monica Frassoni, sublinha o efeito positivo desta crise. “A polémica sobre Buttiglione pode mesmo relançar o debate, en Itália, sobre o direito à igualdade dos homossexuais e das mulheres”, diz. O voto promete ser renhido. Se a Comissão for aprovada, a margem será muito reduzida. Algo que não preocupa o líder dos populares, o alemão Hans-Gert Poettering. “As decisões nunca são tomadas da mesma maneira. Há sempre maiorias diferentes, tudo depende do objecto da discussão e das diferentes opiniões políticas”, minimiza. Os socialistas, esses também estão divididos. No entanto, espera-se que a maioria dos 200 eurodeputados do grupo da rosa vote contra a equipa de Barroso.