Última hora

Última hora

Reformas do governo holandês levantam onda de contestação social

Em leitura:

Reformas do governo holandês levantam onda de contestação social

Tamanho do texto Aa Aa

As indústrias metalúrgica e de construção de automóveis encetaram hoje uma greve de 24 horas na Holanda. Cerca de 150 empresas, que representam uma força laboral de 20 mil pessoas, pararam a produção.

Em causa estão as reformas previstas pelo governo chefiado por Jan Peter Balkenende nos sectores da saúde e da segurança social, bem como a abolição das isenções fiscais para os pensionistas. O governo de Haia pretende, desta forma, manter o défice orçamental dentro dos parâmetros estipulados pelo Pacto de Estabilidade. Mas os sindicatos estão contra as reformas e exigem que o executivo volte à mesa das negociações. Já anteriormente, os sectores dos transportes ferroviários e rodoviários holandeses estiveram paralisados. E depois desta greve de 24 horas, nas indústrias metalúrgica e automóvel, são aguardadas, nos próximos dias, paralisações em cadeia nos sectores da construção civil, dos correios, da educação e da saúde.