Última hora

Última hora

A violência ameaça de novo a Costa do Marfim

Em leitura:

A violência ameaça de novo a Costa do Marfim

Tamanho do texto Aa Aa

As forças governamentais lançaram dois dias de ataques contra posições rebeldes no nordeste do país, ataques que não agradaram, de todo, às Nações Unidas que mantém no terreno uma força de paz para evitar que o conflito e a instabilidade se instalem, nesta região da África Ocidental.

Centenas de jovens apoiantes do presidente Laurent Gbagbo saíram à rua para gritarem o seu apoio ao governo e a sua vontade de combater a rebelião. Em Janeiro de 2003 as duas partes assinaram os acordos de paz de Marcoussis, em França, que foram ratificados em Julho passado, mas o cessar-fogo não está a ser respeitado. O país continua dividido entre sul, dominado pelo governo, e o norte ocupado pelos rebeldes. As Nações Unidas têm no terreno seis mil capacetes azuis e estuda nesta altura a hipótese de aumentar este contingente assim como reforçar o quadro legal de intervenção na Costa do Marfim .