Última hora

Última hora

Referendo Macedónia: primeiro-ministro ameaça demitir-se se o "sim" vencer

Em leitura:

Referendo Macedónia: primeiro-ministro ameaça demitir-se se o "sim" vencer

Tamanho do texto Aa Aa

A Macedónia referenda hoje uma polémica lei de descentralização, que promete reacender os antagonismos entre a população e a minoria albanesa.

O escrutínio foi convocado pela oposição nacionalista, que espera que uma vitória do “sim” à abolição da lei possa travar as reformas do governo, exigidas pela comunidade internacional e que permitirão reforçar os direitos dos cidadãos albaneses. Nas ruas as reacções favorecem os nacionalistas, um macedónio afirma que: “os albaneses estão sempre a fazer exigências e, se o ‘não’ vencer hoje irão continuar a fazer mais exigências”. Outro, afirma que: “estamos sempre a fazer concessões a pensar nos albaneses, este referendo é uma oportunidade para dizer basta. Mesmo assim eu sei que os albaneses irão inventar outra coisa qualquer”. O governo por seu lado apelou ao boicote do sufrágio. Uma vitória do “sim” à abolição poderia retirar o país do caminho da adesão à União Europeia e à Nato. A lei de descentralização referendada hoje é considerada a última etapa do processo de paz entre macedónios e albaneses depois do final de sete meses de conflito em Agosto de 2001. Para um analista, a convocação do referendo, “tem mais a ver com a insatisfação e pobreza da população face a uma política económica desastrosa do que com questões étnicas”. A oposição acusa no entanto o governo de tentar dividir o país, ao querer dar mais poder à população albanesa. O primeiro-ministro Hari Kostov ameaça demitir-se caso a lei seja hoje abolida nas urnas.