Última hora

Última hora

Fallujah debaixo de fogo há dois dias

Em leitura:

Fallujah debaixo de fogo há dois dias

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo segundo dia consecutivo, as forças norte-americanas combatem nas ruas de Fallujah.
Segundo fontes militares americanas, as forças da coligação terão chegado ao centro da cidade e controlam já um terço do território. A fase mais difícil da operação está em curso, com os combates corpo a corpo entre os soldados e os rebeldes.

Não há números oficiais sobre as vítimas na cidade. Os jornalistas em Bagdade, citando fontes do Pentágono, falam de 14 militares mortos, mas não há indicação sobre as vítimas civis. Durante a manhã, fontes militares afirmavam ter abatido, pelo menos, 48 rebeldes. Algumas fontes relatam uma situação muito díficil para os civis. A cidade está sem hospitais para socorrer as vítimas e há seis dias que todos os estabelecimentos comerciais estão encerrados. O Conselho dos Ulemas, a instituição sunita mais prestigiada do Iraque fala de genocídio em Fallujah e apela ao boicote às eleições previstas para Janeiro, acusando o governo iraquiano de ser responsável pelas mortes em Fallujah às mãos das tropas de ocupação. Todas as imagens para o exterior são provenientes das tropas americanas. Esta ofensiva é considerada o esforço militar mais importante para controlar a resistência terrorista antes das eleições. Os comandos americanos calculam que estejam barricados em Fallujah mais de três mil rebeldes. Mas a violência está por todo o país. Esta manhã, em Baquba, 45 polícias foram mortos num ataque rebelde. Em Kirkuk e em Bagdade, explosões de carrosarmadilhados fizeram mais vítimas entre civis e agentes da polícia.