Última hora

Última hora

Norte-americanos tentam encurralar os rebeldes no sul de Falluja

Em leitura:

Norte-americanos tentam encurralar os rebeldes no sul de Falluja

Tamanho do texto Aa Aa

Uma vez que os americanos garantem que Falluja está rapidamente a ficar sob o controlo total, a estratégia anunciada agora é a de encurralar os rebeldes.

Os militares explicam: os insurgentes não podem ir para norte e leste, porque é onde estão baseadas as forças da coligação, e também não podem refugiar-se na parte oeste da cidade, porque o limite é o rio Eufrates. Resta, portanto, tentar empurrar os guerrilheiros para o sul. Os mesmos guerrilheiros aos quaisuma gravação atribuída a Abu Mussab al-Zarqawi apela à resistência. Entretanto, Mohammed al-Djoundi, o condutor sírio dos jornalistas franceses raptados há três meses, foi encontrado vivo na cidade. Mas não há novas informações sobre os repórteres Christian Chesnot e Georges Malbrunot, sequestrados por um grupo que exige a anulação da lei francesa que proíbe o uso de símbolos religiosos, como o véu islâmico, nos edifícios públicos. Da conquista de Falluja, o bastião sunita, depende o futuro da segurança no Iraque e a realização de eleições em Janeiro, afirma o primeiro-ministro interino, Iyad Allawi, até porque os recursos se tornam mais escassos. A Holanda, por exemplo, confirmou que vai retirar os seus 1300 soldados até Março. A ofensiva de Falluja levanta uma outra questão grave: a situação humanitária. Um refugiado relata que a população fugiu, que não ficou ninguém na cidade. O Crescente Vermelho afirma que o contexto nos campos de refugiados é desastroso. Não há água e as pessoas só têm farinha para comer.