Última hora

Última hora

Espanha: conhecida a primeira sentença dos atentados de 11 de Março

Em leitura:

Espanha: conhecida a primeira sentença dos atentados de 11 de Março

Tamanho do texto Aa Aa

O menor de 16 anos, conhecido por “ciganito” e que reconheceu ter feito o transporte de parte dos explosivos utilizados nos atentados, foi condenado a seis anos de prisão num centro para menores e a mais cinco anos de liberdade sob vigilância.

As primeiras sessões na Audiência Nacional, em Madrid, debruçam-se sobre os fornecedores dos explosivos aos terroristas, o que já fez rolar a primeira cabeça nas forças de segurança espanholas. O coronel José António Rodriguéz Bolinaga foi destituído do comando da Guarda Civil das Astúrias, a região onde supostamente foi roubada a dinamite utilizada nos ataques. O ministro do Interior, José Antonio Alonso, justifica a exoneração com a “quebra do princípio de confiança” em relação ao trabalho do funcionário. A ordem imperativa do ministério do Interior obriga a uma colaboração total e imediata das forças de segurança com os juízes e tribunais nas investigações sobre qualquer delito. Ora o polícia destituído não forneceu aos magistrados uma cassete com gravações de 2001, em que um informador acusa dois espanhóis de estarem a fazer tráfico de importantes quantidades de dinamite duma mina nas Astúrias e de lhe terem perguntado como poderiam fabricar bombas activadas por telefone – do tipo das utilizadas três anos depois em Madrid. Os dois homens a que o informador se refere estão hoje detidos, acusados do fornecimento dos explosivos que os terroristas utilizaram a 11 de Março nos atentados que provocaram 191 mortos e quase dois mil feridos.