Última hora

Última hora

Comissão Barroso a braços com o passado de Barrot

Em leitura:

Comissão Barroso a braços com o passado de Barrot

Tamanho do texto Aa Aa

Durão Barroso mantém a confiança em Jacques Barrot, depois de ter descoberto, ontem que o comissário francês foi sentenciado, em 2000, “a oito meses de pena suspensa, por envolvimento num caso de desvio de fundos e considerado inelegível durante dois anos.”

Stefaan de Rynck, porta-voz do comissário, esclarece: “O Sr. Barrot nunca foi considerado ineligível para cargos públicos, nunca foi banido de nenhum cargo público, isso é absolutamente claro; tem um cadastro completamente limpo. O Sr. Farage refere-se a uma decisão da justiça que foi alvo de uma amnistia e, à luz da lei francesa, esse caso não pode ser mencionado.” A “bomba” foi lançada ontem, no Parlamento Europeu, por Nigel Farage. Barrot exige agora que o eurodeputado britânico retire o que disse. Mas o líder do Partido para a Independência do Reino Unido diz que nunca acusou o comissário de ter “cadastro”, apenas informou do caso. Se provarem que o que diz é falso, então retirará as suas declarações, caso contrário, estima ter prestado um favor aos povos europeus. Mas não fez favor nenhum a Durão Barroso. O presidente da Comissão ainda mal saiu de uma crise e já tem outras para gerir.