Última hora

Última hora

G-20 ineficaz contra queda do dólar

Em leitura:

G-20 ineficaz contra queda do dólar

Tamanho do texto Aa Aa

A reunião dos ministros das Finanças do G-20, este fim-de-semana em Berlim, deve ter poucos efeitos nos movimentos de divisas, nomeadamente na alta excessiva do euro, segundo a maioria dos analistas.

A presença mais esperada é a de John Snow, secretário norte-americano do Tesouro. Depois de ter já prometido agir para controlar a queda do dólar, Snow diz que “este não é o lugar ideal para discutir o assunto”. Nancy Verret, analista do banco Fortis, diz que um dólar fraco acaba por ser uma necessidade: “Penso que vai haver um consenso em relação à necessidade de enfraquecimento do dólar, para que se resolva o problema do défice na conta-corrente americana. Os decisores europeus também concordam que não há nada que se possa fazer contra este fenómeno”, afirma. O ministro alemão das Finanças, Hans Eichel, mostrou-se preocupado com a alta do euro e diz que uma nova baixa do dólar seria prejudicial, quer para a economia europeia, quer para a norte-americana. Também o presidente do Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE),Jean-Claude Trichet, disse que a alta do euro era “brutal” e “não era bem-vinda”. No entanto, os bancos centrais pouco podem fazer. Isso mesmo foi dito pelo presidente da Reserva Federal norte-americana, Alan Greenspan, num congresso, em Frankfurt, esta sexta-feira, antes de partir para Berlim. O G-20 junta os sete países mais industrializados do mundo, também chamados G-7, e um conjunto de economias em vias de desenvolvimento.