Última hora

Última hora

Desodorizantes de ambiente podem ser cancerígenos

Em leitura:

Desodorizantes de ambiente podem ser cancerígenos

Tamanho do texto Aa Aa

Ao contrário do que diz a publicidade, os desodorizantes de ambiente não purificam o ar. Antes pelo contrário: contaminam-no com produtos cancerígenos. Essa é a conclusão de um estudo, levado a cabo pela Organização Europeia das Uniões de Consumidores em cinco países da Europa, Portugal incluído.

Entre os 76 desodorizantes de ambiente testados, 37 libertam produtos considerados cancerígenos pela Organização Mundial de Sáude. Diz o toxicólogo André Cicollella: “A presença de dois cancerígenos, como o benzeno e a aldeída fórmica, nas emissões destes produtos provoca um verdadeiro problema de saúde pública, uma vez que estes produtos podem ser utilizados regularmente, portanto, a longo prazo, e por isso o risco de cancro não é negligenciável.” Além destes produtos, os desodorizantes de ambiente contêm também substâncias alergénicas, irritantes ou que causam perturbações endócrinas. O mesmo tipo de substâncias foi também encontrado no incenso, em difusores, velas perfumadas e mesmo em óleos essenciais. A organização dos consumidores lança, assim, o alerta, sublinhando a importância da directiva Reach. Esta proposta de lei comunitária visa instaurar um sistema de registo, avaliação e autorização de cerca de 30 mil produtos químicos existentes no mercado. A directiva Reach vai ser discutida pelos ministros da União, esta semana, em Bruxelas.