Última hora

Última hora

A confusão reina na Ucrânia ao terceiro dia de protestos

Em leitura:

A confusão reina na Ucrânia ao terceiro dia de protestos

Tamanho do texto Aa Aa

A praça da liberdade em Kiev acordou repleta de milhares de apoiantes de iutchenco pelo terceiro dia consecutivo. Um dia no qual o ministro da defesa apelou ao militares para se manterem calmos e cumprirem o seu dever constitucional. Iuschenko enviou uma mensagem aos militares e agentes da ordem dando conta que o poder pretende forçar a eleição do seu adversário e apelou para impedirem o uso da força contra o povo ucraniano.

A confusão e os rumores correm Kiev. Depois do presidente Leonid Kuchma ter lançado um apelo às forças em confronto para encetarem negociações, a oposição começou por responder afirmativamente. Mas algumas vozes do movimento de contestação, recusaram negociar com Vitor Ianukovitch, actual primeiro-ministro, candidato do regime e apoiado por Moscovo. Independentemente das movimentações de bastidores, os apoiantes de Iuschenko prometem prosseguir as manifestações até verem anulados os resultados do sufrágio presidencial. Por sua vez a comissão eleitoral central anunciou apresentar hoje às 16 horas locais, 14 horas em Lisboa, os resultados totais da segunda volta das presidenciais, tidas como fraudulentas pelos observadores internacionais. Resultados que não devem diferir dos anunciados desde segunda-feira. Ou seja, a vitória de Ianukovitch com 49 e meio por cento dos votos, a uma distância de três pontos de Iuschenko. Entretanto há que dois dos 13 membros da comissão eleitoral recusam validar a vitória de Yanukovitch e que mais de 150 diplomatas ucranianos demonstraram o seu apoio à oposição.