Última hora

Última hora

Oposição ucraniana propõe moção de censura aos governantes pró-russos

Em leitura:

Oposição ucraniana propõe moção de censura aos governantes pró-russos

Tamanho do texto Aa Aa

A oposição tenta mobilizar o Parlamento contra o presidente e o primeiro-ministro pela segunda vez desde o início da crise eleitoral na Ucrânia. Os apoiantes de Viktor Iuschenko fazem votar hoje uma moção de censura a Leonid Kuchma e Viktor Ianukovitch, enquanto esperam a sentença do Supremo Tribunal relativa à validade da segunda volta das eleições.

O candidato pró-ocidental respondeu hoje às provocações do seu rival, pedindo a sua demissão e recusando o cargo de primeiro-ministro proposto por Ianukovitch para resolver a contenda. O candidato pró-russo tinha ainda sugerido a convocação de novas eleições com novos candidatos. Apesar da retórica, os actuais governantes da Ucrânia começam a dar sinais de fraqueza. O presidente Leonid Kuchma afirmou ontem ser favorável à realização de novas eleições presidenciais para pôr fim à crise e preservar a paz e a democracia. Ao mesmo tempo a ameaça de secessão entre as metades oeste e leste do país está a ser analisada pela justiça ucraniana. O procurador-geral ucraniano abriu hoje um inquérito para investigar o que chama de atentado contra a integridade territorial do país e tentativa de alterar a ordem constitucional pela força, sem ter especificado em que consistia a investigação. Acumulam-se no entanto os sinais de esperança para os opositores que, aguardam com expectativa a sentença do Supremo Tribunal, que poderá durar dias a deliberar sobre as acusações de fraude eleitoral apresentada por Iuschenko.