Última hora

Última hora

IBM vende na China mercado dos computadores pessoaias

Em leitura:

IBM vende na China mercado dos computadores pessoaias

Tamanho do texto Aa Aa

A IBM abandona o mercado dos computadores pessoais (PC), dos quais foi pioneira nos anos 80, com a venda deste ramo de actividade ao grupo chinês Lenovo.

O contrato foi assinado, em Pequim, por Frank Kern, o presidente do grupo IBM para a Ásia e Pacífico e por Yang Yuanquing, presidente do grupo Lenovo. John Joyce, o vice-presidente da IBM, explica que o grupo “vai ganhar um enorme reconhecimento na China, a economia em maior crescimento no mundo e o mercado em maior desenvolvimento no âmbito dos PC. Acreditamos”, diz, “que este partenariado será positivo para a IBM em termos de hardware, software, serviços e financiamento”. O acordo foi concluído ao fim de 13 meses de negociações, por um montante de 1,75 mil milhões de dólares e prevê que a Lenovo pague em dinheiro 650 milhões de dólares, mais 600 milhões em acções e absorva 500 milhões das dívidas da IBM. A operação, que fez nascer o número três mundial da indústria dos computadores pessoais, logo a seguir a Dell – que domina o mercado – e à Hewlett-Packard, é mais um exemplo da tendência dos industriais chineses para a retoma de marcas e actividades ocidentais nos mercados tecnológicos. O presidente da Lenovo, Yang Yuanquing, diz: “O mercado chinês atingiu o seu limite e se queremos desenvolver temos que fazer negócios no mercado internacional”. Foi esta estratégia que levou a este acordo. Um negócio que faz passar a Lenovo da oitava para a terceira posição entre os fabricantes de computadores, com 7,7% do mercado mundial. Para a IBM, a cedência deste ramo de negócio inscreve-se na estratégia de recentralização do grupo nas actividades que possam trazer maiores margens de lucros, como os serviços informáticos ou o software..