Última hora

Última hora

Decifrar a OPEP

Em leitura:

Decifrar a OPEP

Tamanho do texto Aa Aa

As mensagens que a OPEP quer dar, ao tomar decisões como a última, nem sempre são claras. Desta vez, o cartel decidiu que, apesar de os preços continuarem bastante altos, a última queda estava a ser demasiado abrupta e era preciso eliminar o excedente.

Foi o que aconteceu. Mantiveram-se as quotas de produção, mas cortou-se o excedente em um milhão de barris por dia. Ou seja, os países da OPEP vão continuar a produzir acima das quotas estabelecidas, que se mantêm, mas vão passar a produzir menos. É preciso saber decifrar as decisões e as opiniões de quem está por detrás da OPEP. Às vezes, um aumento da produção pode, na realidade, significar um corte nas reservas. A sede da OPEP em Viena é invadida de jornalistas, sempre que há uma reunião ou conferência. Os ministros do petróleo dos países do cartel sabem bem como usar a imprensa. Ao fazerem esta ou aquela declaração, os decisores da OPEP estão a influenciar o mercado. As opiniões são difundidas, logo a seguir, pelas agências mundiais, o que muitas vezes tem um efeito imediato nos preços. Esse efeito pode depois traduzir-se nas decisões tomadas na própria reunião.