Última hora

Última hora

O polémico adeus de Iliescu a 15 anos de presidência da Roménia

Em leitura:

O polémico adeus de Iliescu a 15 anos de presidência da Roménia

Tamanho do texto Aa Aa

O final da era Iliesco na Roménia é dominado pelas decisões polémica do presidente cessante de indultar o dirigente mineiro Miron Cozma. O responsável pelos distúrbios anti-governamentais que agitaram Bucareste nos anos noventa, cumpria uma pena de dezoito anos de prisão.

A decisão de amnistiar o sindicalista, agita uma passagem de poder na presidência prevista como tranquila, depois da vitória eleitoral de Traian Basescu. Ao final de quinze anos no poder, o presidente cessante justifica a amnistia como um “acto de vontade política e de clemência, que não pretende desculpar as acções do sindicalista”. A oposição de centro-direita considera que o gesto de perdão é a prova da cumplicidade entre o presidente e os grupos dos chamadas “caras negras” que entre 1990 e 1999 levaram a cabo cinco vagas de distúrbios na capital, provocando a queda do governo. Os distúrbios que visaram na sua maioria edifícios governamentais, foram protagonizados por grupos de mineiros chefiados por Cozma. A polémica em torno do indulto, soma-se ainda à polémica condecoração do líder da extrema-direita romena que surpreendeu os novos primeiro-ministro e presidente de um país agora a caminho da Europa.