Última hora

Última hora

Recta final da campanha para as presidenciais na Ucrânia

Em leitura:

Recta final da campanha para as presidenciais na Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Aumenta o clima de tensão que envolve as eleições presidenciais ucranianas, quecontinuam a dividir o país, à medida que se aproxima o dia do escrutínio, marcado para este domingo.

Cerca de 5.000 apoiantes do primeiro-ministro Viktor Ianoukovitch manifestaram-se esta sexta-feira em Kiev. Durante o comício, o candiato pró-Moscovo sublinhou que: “O mais importante é continuarmos a ser os donos desta terra”. A afirmação foi feita depois de Ianoukovitch ter declarado a uma rádio estatal que os resultados das eleições de 21 de Novembro, que o proclamaram vencedor, eram os resultados correctos. A capital ucraniana tem sido, nas últimas semanas, palco de manifestações gigantescas a favor da candidatura do líder da oposição, Viktor Iuschenko. O Tribunal Supremo acabou por anular os resultados da segunda volta, devido à existência de fraudes maciças. O acto eleitoral de 26 de Dezembro vai ter uma participação recorde de observadores internacionais. Cerca de 12.300 observadores estão registados para acompanhar o sufrágio. No entanto, apesar das acções de fiscalização, as organizações não governamentais, como o Comité dos Eleitores Ucranianos, continuam a alertar para a possibilidade de ocorrerem novas fraudes. As forças de segurança do país também já se declararam prontas para assegurar a ordem pública e evitar qualquer acto de violência que possa ocorrer durante as eleições. Uma possibilidade admitida pelo primeiro-ministro Ianukovitch. O chefe do executivo ucraniano disse recear um derramamento de sangue no próximo domingo, depois de ter anunciado, há poucos dias, que os seus apoiantes estavam dispostos a marchar sobre Kiev. As últimas sondagens davam ao candidato da oposição, Viktor Iuschenko, uma vantagem de 14 pontos percentuais sobre o rival Viktor Yanukovitch.