Última hora

Última hora

Ucrânia: O momento da decisão

Em leitura:

Ucrânia: O momento da decisão

Tamanho do texto Aa Aa

Uma imagem que poderá ficar para a história. Viktor Yuschenko, 50 anos, vota poucas horas antes, segundo as últimas sondagens, de se tornar o novo presidente da Ucrânia. O caminho foi difícil mas tudo poderá ficar resolvido esta noite. Na altura de se dirigir ao país através das centenas de jornalistas presentes, Yuschenko utilizou a diplomacia afirmando, em russo, que chegou a altura em que a democracia irá finalmente ganhar na Ucrânia.

E esta poderá ser, por outro lado, uma das últimas aparições públicas do actual Primeiro Ministro, Viktor Yanukovich e também candidato a estas eleições presidenciais. As sondagens dão-lhe um atraso de dez pontos percentuais para Yuschenko depois de alegadamente ter vencido a polémica segunda volta destas eleições muito contestadas. Agora resta de saber como é que este homem, que é implicitamente apoiado pela vizinha Rússia, irá aceitar uma eventual derrota. O eleitorado do actual Primeiro Ministro situa-se geograficamente no Leste do país, ortodoxo, russófono e muito ligado culturalmente e economicamente a Moscovo. Para já tudo parece decorrer com alguma normalidade. Aos media Yanukovich diz que este é um voto decisivo para o futuro da Ucrânia. A grande Ucrânia, com os seus 37 milhões de habitantes, tornou-se com estas eleições, numa espécie de epicentro de uma “guerra fria” reavivada – com os novos membros da União Europeia – como a Hungria, Eslováquia e sobretudo a Polónia a apoiarem claramente Yuschenko e por outro lado a Rússia e a Bielorrússia a apoiarem Yanukovich.As eleições estão a ser acompanhadas por mais de 12 mil observadores internacionais que garantirão aparentemente a imparcialidade deste escrutínio.As urnas encerrarão às oito horas locais, 18 de Lisboa, altura em que se iniciará então a contagem dos votos destas eleições que poderão mudar o mapa da Europa.