Última hora

Última hora

Turistas europeus contam no regresso o pesadelo das férias

Em leitura:

Turistas europeus contam no regresso o pesadelo das férias

Tamanho do texto Aa Aa

Muitos dos turistas europeus que conseguiram escapar à fúria do tsunami começaram a regressar aos seus países, mas milhares encontram-se ainda desaparecidos ou incontactáveis.

Os primeiros belgas chegaram esta madrugada. O país tem seis mortos confirmados e 215 desaparecidos. A França conta pelo menos 122 mortos e 99 desaparecidos, para além de várias centenas incontactáveis. Esta manhã, em Paris, alguns falavam do drama que viveram. Um cidadão francêsconta que foi apanhado pela vaga, dentro do carro, teve que mergulhar para salvar a mulher e as duas filhas, assim como o motorista, depois de a viatura ter sido engolida pelas águas. Estas são histórias que, apesar do susto, acabaram da melhor forma, com as famílias reunidas no regresso a casa. Uma outra turista, emocionada, diz que esteve aterrorizada durante 11 horas, até ao momento em que ouviu os filhos gritarem “mãe, estamos vivos”. O mesmo não poderão dizer outras famílias. Na Europa, a Suécia é um dos países mais atingidos. O governo confirma já a morte de 60 pessoas e desconhece o paradeiro de 3.500. As autoridades dizem que o número de vítimas suecas poderá atingir várias centenas ou mesmo ultrapassar o milhar. Também à chegada a Estocolmo, muitos têm histórias dramáticas que contam às televisões. Uma criança relata que estava na praia, tranquila e só reagiu quando alguém começou a gritar que era preciso correrem para se salvarem e foi aí que decidiu fugir. Também a mãe diz que estava expectante e achava que assitia a qualquer coisa de excepcional, e só quando viu os barcos a voarem à sua volta é que se deu conta do perigo. De Norte a Sul da Europa quase todos os países têm vítimas a lamentar. Há oito portugueses desaparecidos e mais 22 incontactáveis. O balanço final está ainda longe de ser conhecido