Última hora

Última hora

Primeiro dia de 2005, dia de luto nacional na Suécia

Em leitura:

Primeiro dia de 2005, dia de luto nacional na Suécia

Tamanho do texto Aa Aa

Ontem à noite em Estocolmo o tradicional fogo-de-artifício foi substituído por uma vigília à luz das velas em memória dos mais de 3 mil e 500 turistas suecos desaparecidos na sequência do terramoto que abalou o sul da Àsia.

Um milhar de mortos suecos foi até agora confirmado, o mais elevado saldo de vítimas estrangeiras, recordado pelo primeiro-ministro Goran Person. Durante o discurso de ano novo o chefe de governo apelou à solidariedade tentando afastar as críticas contra a ministra dos negócios estrangeiras, acusada de ter reagido tardiamente e de uma forma descoordenada. No total sete mil turistas estrangeiros de diversas nacionalidades encontram-se desaparecidos na sequência do sismo. Entre os países europeus mais afectados, estão o Reino Unido a Alemanha e a França. Paris festejou ontem o ano novo com os campos elíseos cobertos com laços negros em símbolo de luto para evocar os pelo menos 123 franceses mortos na tragédia. Na Alemanha, os mais de um milhar de turistas alemães desaparecidos não impediram que o país festejasse o ano novo frente à porta de Brandeburgo. Os foguetes invadiram toda a capital, mas 318 mil euros foram até agora colectados para ajuda às vítimas. Portugal por seu lado continua sem notícias dos seus oito turistas desaparecidos assim como de outros 11 que continuam incontactáveis. A União Europeia decretou um minuto de silêncio para o dia cinco de Janeiro em memória das mais de 140 mil vítimas do mais grave terramoto das últimas décadas.