Última hora

Última hora

Suécia entra em 2005 carregada de luto

Em leitura:

Suécia entra em 2005 carregada de luto

Tamanho do texto Aa Aa

Em Estocolmo as festividades de passagem do ano deram lugar às vigílias e cerimónias religiosas. Entre as mais de 150 mil vítimas do terramoto, que atingiu o Sul da Àsia, encontram-se cerca de 70 turistas suecos, mais de 3500continuam ainda desaparecidos.

No país a assistência aos feridos repatriados durante a noite alterna com as acções de recolha de fundos para ajuda às vítimas. A Suécia disponibilizou 80 milhões de dólares de ajuda humanitária, num momento em que o executivo é alvo de críticas que apontam a reacção tardia e descoordenada das autoridades. Ao movimento de solidariedade registado na Escandinávia, que angariou quase dez milhões de dólares durante os últimos dias, juntam-se as acções de solidariedade registadas noutros países como em Itália. Em Roma, assim como noutras 70 cidades mundiais, uma organização religiosa lançou um peditório para ajudar as vítimas do sismo. Durante a noite tinham sido repatriadas as primeiras três das 14 vítimas mortais italianas do terramoto, que está na origem do desaparecimento de mais de sete mil turistas estrangeiros, na sua maioria europeus.