Última hora

Última hora

A fúria das águas continua a ameaçar as populações do Sul da Ásia

Em leitura:

A fúria das águas continua a ameaçar as populações do Sul da Ásia

Tamanho do texto Aa Aa

No Sri Lanka, uma semana depois das vagas terem varrido várias povoações costeiras, as chuvas torrenciais isolam agora povoações no Leste do país ameaçando propagar epidemias.

Segundo a Organização Mundial de Saúden (OMS), que enviou para o país equipamento de purificação de água, serão precisos mais alguns dias para avaliar a situação sanitária entre os mais de 600 mil refugiados que enfrentam a escassez de água potável. Doenças como a cólera, a febre tifóide ou a malária estão no topo das preocupações da OMS. Apesar da mobilização da comunidade internacional que, através da ONU já angariou mais de dois mil milhões de dólares de ajuda, a destruição de infraestruturas viárias está a atrasar a entrega de víveres e medicamentos às zonas afectadas. Na ilha de Sumatra, na Indonésia, a ajuda humanitária poderá demorar semanas a chegar a zonas remotas da província de Aceh. Na Índia, as centenas de ilhas dos arquipélagos de Andamão e Nicobar, varridas pelo mar, continuam inacessíveis às equipas de resgate. O saldo provisório de vítimas aponta para cerca de 130 mil mortos, 500 mil feridos e mais de cinco milhões de desalojados no Sul e Sudeste da Ásia, assim como em algumas regiões africanas também afectadas pelo tsunami de domingo.