Última hora

Última hora

No Sudeste asiático, é agora necessário um esforço logístico sem precedentes

Em leitura:

No Sudeste asiático, é agora necessário um esforço logístico sem precedentes

Tamanho do texto Aa Aa

Oito dias depois do tsunami que devastou o Sudeste asiático e com uma operação histórica de recuperação e salvamento em curso, são vários os problemas que persistem. É necessário coordenar toda a ajuda humanitária, chegar a zonas ainda isoladas ou lutar contra epidemias.

O balanço total das vítimas mortais chega já quase às 150 mil – um número que, segundo a ONU, será ultrapassado. Dois terços das mortes registaram-se na costa indonésia de Sumatra, onde a catástrofe foi particularmente intensa. A simples chegada de um helicóptero traduz-se muitas vezes numa luta desesperada por água ou alimentos, que escasseiam por toda a região. Os desalojados são aos milhares e não é difícil enumerar as carências: falta tudo. Nos aeroportos asiáticos concentram-se toneladas de mantimentos e medicamentos, exigindo um esforço logístico enorme para a distribuição. Transportes como os helicópteros que são agora levados para a região são, muitas vezes, a única forma de chegar a zonas completamente isoladas pela destruição.