Última hora

Última hora

Novas regras comunitárias reforçam segurança alimentar

Em leitura:

Novas regras comunitárias reforçam segurança alimentar

Tamanho do texto Aa Aa

A traçabilidade dos alimentos está reforçada. Para garantir a segurança alimentar, a União Europeia quer saber tudo sobre os alimentos, desde a origem até ao momento em que chegam ao prato do consumidor.

Assim, desde 1 de Janeiro, estão em vigor as novas regras comunitárias. As empresas agro-alimentares devem, doravante, manter uma espécie de “bilhete de identidade” de cada produto e são obrigadas a responsabilizar-se pelas mercadorias e a cooperar com os organismos competentes. A origem, a transformação e a distribuição de cada bife, de cada grão de cereal ou mesmo de cada litro de leite devem ficar arquivadas e registadas, tal como os dados sobre os clientes e os fornecedores. Em caso de problemas ou de crise, essas informações devem poder ser imediatamente transmitida às autoridades. O objectivo da União é claro: evitar crises como a das vacas loucas, ao impedir que os alimentos eventualmente perigosos entrem no circuito comercial. A adopção de certificados comuns e a criação, em 2002, da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar – que efectua controlos científicos e identifica os potenciais riscos – completam esta regulamentação europeia.