Última hora

Última hora

Iraque a ferro e fogo a semanas das eleições

Em leitura:

Iraque a ferro e fogo a semanas das eleições

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 50 pessoas morreram em menos de 24 horas no Iraque, vítimas de diferentes ataques à bomba, suicidas ou emboscadas. Os principais alvos são as forças militares e funcionários do executivo provisório.

O número de atentados subiu de forma considerável, tendo em conta a proximidade das eleições no país. Depois de várias vozes se terem levantado a favor do adiamento do escrutínio, nesta quarta-feira, o presidente interino Iyad Allawi veio a público acabar com a especulação. As eleições estão marcadas para 30 de Janeiro e assim vão ficar. O presidente tem o apoio do governo e de grande parte dos actores internacionais envolvidos no conflito, entre eles Londres e Washignton. E o chefe da equipa da ONU que prepara as eleições no país, Carlos Valenzuela, considerou que é possível realizar o escrutínio. O atentado mais mortífero desta quarta-feira registou-se em Hilla, a sul de Bagdade. Um carro armadilhado explodiu junto a um centro de formação da polícia, matou pelo menos 15 pessoas.