Última hora

Última hora

Exércitos de países doadores na primeira linha das operações de ajuda na Ásia

Em leitura:

Exércitos de países doadores na primeira linha das operações de ajuda na Ásia

Tamanho do texto Aa Aa

As promessas de auxílio aos sinistrados do tsunami não faltaram e chegou a hora de concretizá-las, mesmo se a distribuição de ajuda humanitária é ainda difícil e impossível em algumas zonas.

Na zona afectada são os exércitos dos países doadores que estão na primeira linha das operações. Para além das forças militares das nações atingidas, os Estados Unidos foram o primeiro país a mobilizar as suas tropas para a maior missão humanitária da história: são 13 mil homens, um porta-aviões, um porta-helicópteros, 20 navios, entre eles transportadores, hospitais e de transformação de água salgada em água potável. Estacionados ao largo de Sumatra, na Indonésia, poucos dias após a tragédia, os helicópteros americanos são ainda dos únicos meios para distribuir comida, água e medicamentos, mas também para transportar feridos e doentes em Aceh, a zona mais afectada. As operações contarão na próximas horas e dias com meios militares, entre os quais dezenas de navios, helicópteros, aviões e soldados, de países como a França, Grã-Bretanha, Alemanha, Japão, China, para além de muitos outros. Com as equipas internacionais a lutarem contra o tempo, a falta de meios e asestruturas básicas destruídas, como estradas e condutas de água, surgem os primeiros casos de infecção entre uma população vulnerável. As epidemias podem aumentar o drástico balanço que aponta para mais de 150 mil mortos, mesmo se alguns países já deixaram de contar as vítimas e se concentram na ajuda aos vivos e no futuro.