Última hora

Em leitura:

Violenta e mortífera tempestade fustiga Norte da Europa


mundo

Violenta e mortífera tempestade fustiga Norte da Europa

O Norte da Europa enfrenta uma forte tempestade que já fez pelo menos onze mortos. Na Dinamarca, os ventos fortes, a rondarem os 150 quilómetros por hora, impedem o resgate da tripulação de um barco holandês em dificuldades.

Tal como na Alemanha, os ventos fortes estão a lançar o caos em toda a região do Norte da Europa. Para além das centenas de milhar de pessoas sem electricidade, as dificuldades de circulação marítima, aérea, rodo e ferroviária fazem-se sentir desde a Irlanda e Reino Unido até à Alemanha e em toda a Escandinávia, com os ventos ciclónicos a prosseguirem caminho rumo a Leste. As vítimas mortais devem-se à queda de árvores na Dinamarca e Suécia e às inundações em território britânico. As evacuações sucendem-se em todos os países atingidos. Na Alemanha, duas pessoas estão desaparecidas e muitos apaixonados de caminhadas sofreram ferimentos em quedas provocadas pelas rajadas de vento e pelo gelo. Entre os feridos há um alpinista. Na Noruega, muitos marinherios atracaram em locais da costa relativamente abrigados para se protegerem dos ventos. A Irlanda, Escócia, o Norte da Inglaterra e País de Gales enfrentam a pior tempestade dos últimos 40 anos. Em Cairnryan, na costa ocidental da Escócia, as condições meteorológicas ainda não permitiram desencalhar um ferry, com cem pessoas a bordo, que se encontram sãs e salvas. Na Escócia os ventos chegaram a atingir 195 quilómetros por hora e no resto do território irlandês e britânico, como na cidade de Carlisle, no Nordeste de Inglaterra, o vendaval esteve aliado a chuvas diluvianas que obrigaram milhares de pessoas a abandonarem as suas casas.
Saiba mais:

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Eleições nos territórios palestinianos decorrem sem incidentes