Última hora

Última hora

Bruxelas apoia Berlim na reforma do Pacto de Estabilidade

Em leitura:

Bruxelas apoia Berlim na reforma do Pacto de Estabilidade

Tamanho do texto Aa Aa

A poucas horas da reunião dos ministros das Finanças da Eurozona, Bruxelas já reagiu às declarações de Gerhard Schroeder. O chanceler alemão quer uma reforma radical do Pacto de Estabilidade.

Num artigo publicado no Financial Times, Schroeder defende uma maior soberania dos Estados membros na definição dos orçamentos nacionais e considera que a estabilidade e o crescimento de um país não se devem medir apenas pelo respeito do défice de três por cento do PIB. Refira-se que há três anos que a Alemanha não respeita este limite. O chanceler defende que, antes de avançar com sanções, a Comissão deve ter em conta os esforços em matéria de reformas sociais, as despesas feitas para o relançamento da conjuntura ou os encargos públicos extraordinários. A porta-voz do comissário para os Assuntos Económicos calou eventuais divergências entre Bruxelas e Berlim ao afirmar que “em vários aspectos, o ponto de vista do chanceler é idêntico ao da Comissão.” O debate sobre a reforma do Pacto de Estabilidade e Crescimento entra esta noite numa “fase crítica”, com a reunião dos ministros da Finanças. A presidência luxemburguesa da União espera conseguir chegar a um acordo antes da Cimeira intercalar, de Março próximo.