Última hora

Última hora

Negociações de adesão da Croácia a UE condicionadas por colaboração com TPI

Em leitura:

Negociações de adesão da Croácia a UE condicionadas por colaboração com TPI

Tamanho do texto Aa Aa

Entregar ao Tribunal Penal Internacional o general Ante Gotovina, acusado de crimes de guerra, ou aceitar o adiamento das negociações com vista à entrada na União Europeia é o dilema que a Croácia enfrenta.

Em Varsóvia, ao lado de Carla Del Ponte, procuradora-chefe do TPI, o ministro dos Negócios Estrangeiros polaco, Adam Rotfeld, afirmou que a Croácia está obrigada a entregar o general Ante Gotovina à justiça internacional, caso contrário a abertura das negociações de adesão à União europeia não terá lugar a 17 de Março, conforme previsto. Esta posição surge depois de Carla Del Ponte ter acusado Zagreb de proteger o general por diversos motivos. Na segunda-feira, numa reunião conjunta, os 25 ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia deverão tomar uma posição oficial sobre o assunto. Analistas referem que Zagreb encontra-se entre a espada e a parede. A entrega de Gotovina, acusado de crimes contra sérvios-croatas durante a guerra da Jugoslávia, poderá levantar descontentamente interno, uma vez que muitos consideram o general um herói. A entrada na União Europeia é muito ambicionada.