Última hora

Última hora

Jihad Islâmica reivindica ataque em Telavive

Em leitura:

Jihad Islâmica reivindica ataque em Telavive

Tamanho do texto Aa Aa

O atentado de ontem à noite em Telavive teria como objectivo abalar as tréguas declaradas pela Autoridade Palestiniana. A afirmação foi feita por um alto responsável da Jihad Islâmica. A organização, oposta ao processo de paz,reivindicou esta tarde o atentado bombista suicida, que matou quatro pessoas ferindo cerca de meia centena de transeuntes.

A reivindicação coincide com a pista seguida pelo exército israelita, apesar dos responsáveis palestinianos, como Mahmoud Abbas ou Ahmed Qurei, terem numa primeira fase apontado as culpas a um terceiro elemento – possivelmente o Hezbollah libanês, que negou a implicação no ataque. Segundo fontes militares israelitas, aquele que é o primeiro atentado suicida em quatro meses de trégua não irá levar o exército a ripostar a acção, podendo,no entanto, adiar a transferência de poder para os palestinianos em algumas regiões. A pressão internacional volta a estar sobre a capacidade da Autoridade Palestiniana em combater os grupos terroristas, como o afirmou em Washington a nova secretária de Estado, Condoleezza Rice. O exército israelita lançou, no entanto, uma operação durante a madrugada sobre a aldeia de Deir al-Ghusun, na Cisjordânia, de onde era originário o bombista-suicida, detendo cinco pessoas. Horas mais tarde as autoridades palestinianas anunciavam a detenção de dois alegados membros da Jihad Islâmica.