Última hora

Última hora

Tribunal de Angers começa a julgar maior processo de pedofilia de França

Em leitura:

Tribunal de Angers começa a julgar maior processo de pedofilia de França

Tamanho do texto Aa Aa

Começou hoje em Angers, França, o monstruoso processo de pedofilia que coloca no banco dos réus 66 pessoas, acusadas de terem estabelecido uma rede pedófila e de proxenetismo que tinha como vítimas os próprios filhos de muitos dos arguidos.Uma história de miséria humana, ligada a problemas de alcoolismo, desemprego, carências económicas e abusos repetidos. Os factos remontam ao período entre 1999 e 2002 e todas as vítimas, 45 no total, tinham na altura idades compreendidas entre seis meses e 14 anos.

O advogado Pascal Rouiller diz que “muitos dos réus foram alvo de violência durante a infância, alguns foram molestados, muitos foram violados”.Explica que “um dos seus constituintes é acusado juntamente com o pai, a pessoa que abusava dele há alguns anos e que é agora co-autor dos factos. Por aí, se imagina o sentido da moral que este jovem pode ter.” A complexidade do processo fica também patente nas palavras de Meriem Baba-Ronciere, defensora de algumas das vítimas: “A principal dificuldade para estas crianças é o facto dos agressores serem pessoas próximas. São os pais, os avós, o tio, os primos. Por isso, é extremamente difícil porque têm um conflito de lealdade. Se falam, acusam o pai e a mãe, que vão para a prisão e não os podem ver”. As sessões do julgamento, que deve durar quatro meses, vão decorrer diariamente durante a tarde e vão estar fechadas ao público, mas os meios de comunicação poderão marcar presença.Dos 66 arguidos, quarenta estão em prisão preventiva.A leitura da sentença está prevista para o mês de Junho.