Última hora

Última hora

Itália em suspense com o incidente em torno de Sgrena

Em leitura:

Itália em suspense com o incidente em torno de Sgrena

Tamanho do texto Aa Aa

O anúncio da libertação de Giuliana Segrena foi difundido pela televisão árabe Al-Jazira, ontem, antes de ser confirmado pelo jornal Il Manifesto.

Numa tradução árabe, a repórter agradecia aos sequestradores a sua libertação e explicava que “eles estão determinados a libertar a sua terra da ocupação” A sua liberdade deu-se em circustâncias complexas e trágicas que não deixaram os italianos saborearem por completo essa alegria. Na redacção do Il Manifesto a satisfação das primeiras horas dilui-se na apreensão da espera, depois de terem recebido a notícia do tiroteio. O chefe do governo italiano, que apoiou George W. Bush na intervenção militar no Iraque, quer agora apurar responsabilidades para este aparatoso desfecho em Bagdad. Silvio Berlusconi convocou, ontem à noite, o embaixador norte-americano em Roma para pedir esclarecimentos. O chefe do executivo explicou que o incidente deu-se já muito perto do aeroporto, num posto de controlo, onde foram lançados vários disparos. Um desses tiros foi fatal ao agente Calípari. Com 51 anos, Nicola Galípari, dirigia a equipa que executou o plano de resgate de Segrena. Pai de dois filhos, o agente secreto terá servido de escudo à jornalista quando as balas choviam sobre a viatura. Um homem experiente neste tipo de acções, que também esteve envolvido no trabalho de libertação das duas Simonas, Simona Pari e Simona Torreta, o ano passado. Um agente traído no último acto da sua última missão