Última hora

Última hora

Líbano: Karami sucede a Karami

Em leitura:

Líbano: Karami sucede a Karami

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro demissionário do Líbano será reconduzido no cargo. Omar Karami tinha-se demitido na sequência dos protestos anti-sírios das últimas três semanas. O presidente, Emile Lahoud, irá convidá-lo a formar novo governo, respeitando a votação do parlamento de Beirute, favorável à recondução do primeiro-ministro pró-sírio.

Alvo de intensa pressão internacional pelo papel da Síria no Líbano, o jovem presidente sírio, Bashar Al-Assad, recebeu hoje o apoio de dezenas de milhar de cidadãos nas ruas de Damasco. Uma manifestação que decorre um dia depois de o Hezbollah ter mobilizado centenas de milhar de pessoas em Beirute, numa demonstração de força pró-síria contra a “ingerência internacional” no Líbano. Uma delegação da oposição libanesa deslocou-se a Bruxelas, onde se encontrou com o chefe da diplomacia europeia, Javier Solana. O líder druzo, Walid Jumblatt, reiterou a necessidade de diálogo com o Hezbollah, um importante actor no panorama libanês. A resolução 1559 da ONU exige a retirada das tropas sírias e o desarmamento de todas as mílicias armadas, uma clara referência ao Hezbollah. O exército sírio está, entretanto, a deslocar-se para o vale de Bekaa. Trata-se de uma primeira fase de retirada que, oficialmente, vai terminar no final de Março. Depois, numa segunda fase, está prevista a retirada total dos 14 mil soldados sírios estacionados no Líbano.