Última hora

Última hora

SN Brussels junta-se a Virgin Express

Em leitura:

SN Brussels junta-se a Virgin Express

Tamanho do texto Aa Aa

A Virgin Express, companhia aérea de baixas tarifas, do milionário britânico Richard Branson, acaba de juntar-se à belga SN Brusels Airlines, a sucessora da Sabena. As duas companhias terminaram as reuniões com vista à fusão.

O visconde Etienne Davignon, presidente da SN Brussels Airlines, diz que “este casamento com a Virgin não é uma soma em que um mais um é igual a dois, mas sim em que um mais um é igual a mais que dois”. Já David Hoare, homem-forte da Virgin Express, prefere outra metáfora: “Sinto-me como um pai a quem acaba de nascer um bebé. Sinto uma mistura de alívio por o processo estar terminado e expectativa em relação ao futuro. Espero que o bebé cresça e seja bonito. Tenho a certeza que sim”. As duas empresas, combinadas, tiveram em 2004 uma facturação de mais de 835 milhões de euros e transportaram mais de cinco milhões de passageiros. As duas frotas, juntas, fazem um conjunto de 48 aviões. O quadro de pessoal da nova empresa, resultante da fusão, vai ter pouco mais de 2.800 empregados. Como consequência da fusão, as acções da Virgin Express vão ser retiradas da bolsa de Bruxelas. A empresa propôs aos accionistas um preço de saída de um euro por acção. A fusão não deve afectar os trabalhadores. Alguns mostram-se entusiasmados. Diz um piloto, “vamos passar a servir os clientes de ambas as empresas e assim ser mais fortes”. O novo grupo vai ser detido, em 70 por cento, pelos accionistas privados da SN. Os restantes 30 por cento ficam nas mãos da Virgin Express. Apesar da fusão, ambas as companhias vão continuar a operar separadamente.