Última hora

Última hora

Mulher soldado declara-se culpada de sevícias em Abu Ghraib

Em leitura:

Mulher soldado declara-se culpada de sevícias em Abu Ghraib

Tamanho do texto Aa Aa

Perante o tribunal militar no Texas, a soldado norte-americana, Lynndie England,declarou-se culpada de sete das nove acusações. O juiz ouviu England nesta segunda-feira. A soldado esteve envolvida nas sevícias contra detidos iraquianos na prisão de Abu Ghraib, no Iraque.

Foi acusada de dois crimes de conspiração, quatro de maus tratos e ainda acusada de desonra por falta de cumprimento das obrigações militares. A jovem soldado tornou-se no rosto mais mediatizado do escândalo e é a única mulher indiciada pela justiça militar norte-americana. Se for condenada, pode ser sentenciada até 11 anos de prisão. A defesa conseguiu provas que dão a constituinte como deficiente mental e alegam que a réu foi coagida pelo namorado a praticar os actos indecorosos. Para a defesa não há dúvida que a soldado é apenas um peão no processo, embora no início a jovem alegava ordens superiores para justificar o seu comportamento. England tem hoje 22 anos e um bebé nascido em Outubro, fruto de uma relação com o alegado líder do grupo que cometeu os abusos em Abu Graib, o americano Charles Graner, condenado em Janeiro passado a 10 anos de prisão, o primeiro dos acusados a ter sido julgado. Para além de England e Graner, há ainda outros seis soldados norte-americanos que aguardam o julgamento no âmbito deste escândalo que rebentou em 2003.