Última hora

Última hora

Eleições no Reino Unido: Indecisos são quase 40 por cento

Em leitura:

Eleições no Reino Unido: Indecisos são quase 40 por cento

Tamanho do texto Aa Aa

A menos de 48 horas das legislativas britânicas, os candidatos desdobram-se em acções de campanha para chegar aos indecisos. O primeiro-ministro, Tony Blair, prefere falar dos problemas domésticos e deixar o Iraque fora do contexto eleitoral. Esta manhã voltou à carga com a economia, as finanças, e os serviços de saúde, e para cada um deles perguntava quem era melhor, os trabalhistas ou os conservadores.

Todos os líderes partidários parecem ter optado pelo mesmo estratagema nestas últimas horas de batalha, ou seja, realçar os pontos-chave das suas campanhas. Michael Howard, líder dos conservadores, promete acção e poucas palavras. É contra a constituição europeia, foi a favor da guerra no Iraque e garante que vai preencher as lacunas deixadas por dois mandatos trabalhistas consecutivos. A campanha dos tories dedicou-se a atacar a credibilidade de Blair por causa da guerra no Iraque. As sondagens dão os trabalhistas como vencedores, mas a margem em relação aos conservadores parece reduzir com o tempo. Quanto aos democratas liberais de Charles Kennedy, europeístas e contra guerra, tentam apelar aos trabalhistas desiludidos, usando, de novo, o Iraque como argumento. A incógnita aloja-se junto dos quase 40 por cento de eleitores que ainda não sabem em quem votar.