Última hora

Última hora

Petróleo por alimentos: Pasqua pede provas, Galloway responde aos congressistas

Em leitura:

Petróleo por alimentos: Pasqua pede provas, Galloway responde aos congressistas

Tamanho do texto Aa Aa

É esta terça-feira que o Congresso norte-americano vai ouvir o deputado britânico, George Galloway, no âmbito do inquérito ao escândalo do programa “Petróleo por Alimentos”.

O relatório da comissão de inquérito do Congresso, apresentado na passada semana, aponta o dedo acusador a dois europeus: o deputado britânico, George Galloway e o senador francês, Charles Pasqua. Pasqua é acusado de ter recebido vales de 11 milhões de barris de petróleo, mas nega as acusações e pede provas às autoridades americanas. Esta manhã, em conferência de imprensa, Pasqua mostrou-se indignado: “O que não aprecio é que o meu nome seja lançado na lama. Quero justiça e que ninguém seja poupado, nem mesmo eu”, afirmou. O ex-ministro francês do Interior diz-se o bode expiatório da campanha norte-americana contra a França e recusa-se a falar perante os congressistas. Estratégia diferente apresenta o deputado britânico do Partido do Respeito que,esta segunda-feira, deixou Londres para prestar declarações no Congresso norte-americano. No aeroporto de Heathrow, Galloway adiantou as linhas da sua defesa: “Vou acusá-los de envolvimento numa manobra de diversão sobre os verdadeiros problemas, que são o desvio de biliões de dólares do Iraque pelos Estados Unidos e as companhias norte-americanas e da morte de mais de cem mil pessoas”. Para Galloway, a melhor defesa é o ataque. O dissidente trabalhista é conhecido por demonstrar vivamente as suas convicções, mas também tinha relações muito práximas com Saddam Hussein. Os seus detractores chegaram mesmo a chamar-lhe o porta-voz do ex-ditador.