Última hora

Última hora

Festival de Cannes discute tecnologia de "Video On Demande"

Em leitura:

Festival de Cannes discute tecnologia de "Video On Demande"

Tamanho do texto Aa Aa

No Dia da Europa, no Festival de Cannes, os ministros da Cultura dos Vinte e Cinco discutiram as formas de melhor promover o cinema europeu. Reuniram-se com realizadores e distribuidores de toda a Europa, com quem analisaram políticas comuns, sobretudo no que toca às novas tecnologias.

Em foco, o crescente mercado dos filmes online, onde se inclui o chamado VOD – “Video On Demande”. O realizador Christophe Rossignon explica as vantagens do sistema: “Trata-se de uma encomenda à distância. Você conecta-se a um site, que disponibiliza todos os filmes, mil, dois mil, três mil, quatro mil, cinco mil… É sempre a mesma coisa, é apenas uma questão de capacidade de memória. Depois, é só usar um simples motor de busca, e até uma criança pode digitar o nome do filme, um pequeno filme italiano ou belga, e fazer o download e pronto, pode vê-lo. E isso não encontrará, nunca, em nenhuma grande superfície.” Para muitos realizadores, que nem sempre têm verbas suficiente para promover os seus filmes, o futuro está, pois, na internet – como defende Michael Winterbottom, realizador de “Bem-vindo a Sarajevo” e convidado de honra deste Dia da Europa. “É como se os filmes se tornassem mais parecidos com os livros e que surgisse algo como a Amazon – que armazena milhares de livros, alguns dos quais já esgotados e comprados em segunda mão. Praticamente todos os livros podem ser encontrados na Amazon. Se pudéssemos fazer o mesmo com os filmes, onde fosse possível ver virtualmente qualquer filme online, seria genial”, garante Winterbottom. O argumentista sueco, Peter Boerjesson, foi este ano o vencedor do programa Media para os Jovens Talentos, da União Europeia. Sobre o guião, espicaça-nos a curiosidade: “Vai ter um grande impacto, vai atrair muitas atenções. É perfeito para o projecto que tenho em mente. Mas não é um filme de consumo fácil daqueles comerciais.” O programa Media tem patrocinado obras como “O Pianista”, de Polanski. Este ano, 12 filmes com o carimbo Media fazem parte da selecção oficial de Cannes e da Quinzena dos Realizadores, que decorre à margem do Festival.