Última hora

Última hora

Galloway ataca para se defender das acusações da comissão do senado americano

Em leitura:

Galloway ataca para se defender das acusações da comissão do senado americano

Tamanho do texto Aa Aa

De acusado George Galloway passou a acusador. O deputado britânico foi a Washington denunciar o que diz serem falsas acusações proferidas contra si no inquérito americano sobre o programa humanitário das Nações Unidas no Iraque, “Petróleo por Alimentos”. Galloway acusou directamente a comissão do Senado de mentir, de o ter considerado culpado sem o ouvirem, procurando apenas desviar as atenções dos erros americanos no Iraque.

O relatório da comissão acusa Galloway de ter recebido de Saddam Hussein direitos de exportação de 20 milhões de barris de petróleo e de uma das transacções, durante o embargo, ter rendido ao regime iraquiano mais de 300 mil dólares. À questão do presidente da comissão, o republicano Norm Coleman, o deputado britânico respondeu: “É surrealista ouvir nesta sala que sou acusado de ter dado dinheiro a Saddam Hussein. É absolutamente rídiculo. Nunca vi um barril de petróleo, nunca tive, nunca comprei, nunca vendi nenhum e ninguém o fez por mim”. Quanto às provas que o implicam, Galloway diz terem sido manipuladas e pôs em causa a credibilidade dos testemunhos dos ex-dirigentes iraquianos detidos pelos americanos. Num tom quase provocatório, Galloway disse que a comissão não tem provas contra ele, a não ser o seu nome numa lista recolhida no Iraque e que “foi manipulada após a instalação de um governo fantoche em Bagdade”. Expulso do Partido Trabalhista pela sua oposição à guerra no Iraque, George Galloway falou dos seus dois encontros com o ex-ditador iraquiano e aproveitou para dizer que também Donald Rumsfeld se reuniu com Saddam, a diferença é que a missão do actual chefe do Pentágono era vender armas.