Última hora

Última hora

Airbus desafia Washington e pede ajudas públicas a Londres

Em leitura:

Airbus desafia Washington e pede ajudas públicas a Londres

Tamanho do texto Aa Aa

A Airbus pediu a Londres ajudas públicas para lançar o novo A350. Isto, apesar da ameaça norte-americana de apresentar queixa na Organização Mundial do Comércio. A construtora aeronáutica europeia, detida a 20% pela British Aerospace, espera uma resposta do governo britânico até meados do próximo mês.

Em Janeiro, Washington e Bruxelas retiraram as queixas mútuas, que tinham na OMC, e começaram a negociar, com vista à redução, ou mesmo supressão, das ajudas públicas. Ambos os blocos subvencionam as respectivas construtoras. A Airbus beneficia de ajudas para o lançamento; a Boeing recebe verbas quando os aviões já estão produzidos. Durante as negociações, que terminaram a 11 de Abril, nenhum pedido de fundos devia ser realizado. Findo o prazo, sem acordo, a Airbus avançou, pois, com o pedido. Um porta-voz da Boeing – que tem na forja o 787 Dreamliner, concorrente directo do A350 – já reiterou a ameaça americana, de recorrer à OMC. Mas Bruxelas, que diz continuar disponível para negociar com Washington, recorda que as decisões não são tomadas pela Boeing, mas sim pelo governo norte-americano.