Última hora

Última hora

Líbano: Oposição concorre separada nas eleições

Em leitura:

Líbano: Oposição concorre separada nas eleições

Tamanho do texto Aa Aa

Cisão na oposição libanesa, que não vai apresentar listas conjuntas nas eleições gerais que começam no próximo domingo e se prolongam nos três seguintes, até 19 de Junho. Os principais líderes cristão e muçulmanos não conseguiram chegar a acordo sobre os lugares para uma lista conjunta na circunscrição de Baabda-Aley, a Sul de Beirute, um círculo eleitoral chave. A população, nesta região, divide-se entre as confissões maronita, drusa e sunita.

Com o fracasso das longas negociações para os lugares em Baabda-Aley falhou também o acordo entre a oposição anti-síria para as listas noutras circunscrições. Líder dos cristãos-maronitas, o general na reforma Michel Aoun foi recebido como herói no regresso ao país, no passado dia 7 de Maio, após 15 anos de exílio em França. Frustradas as negociações, Aoun diz-se pronto para o “confronto”. O antigo general que dirigiu a revolta contra a presença síria antes de ser obrigado ao exílio agita como bandeira eleitoral a luta contra a corrupção. Walid Jumblatt, o chefe dos drusos, é o presidente do Partido Socialista Progressista. Antigo combatente, depôs as armas em 1989 e têm lutado nos últimos anos dentro do Parlamento para colocar um ponto final à presença síria no Líbano. Uma retirada total confirmada hoje pela ONU após uma visita ao território. O trio dos principais líderes da oposição anti-síria fica completo com o sunita Saad Hariri, filho do antigo primeiro ministro Rafic Hariri, assassinado no passado dia 14 de Fevereiro. Saad Hariri é o vencedor anunciado das eleições em Beirute, cidade reconstruída pelo seu pai.