Última hora

Última hora

Irão: Dia da segunda volta das presidenciais

Em leitura:

Irão: Dia da segunda volta das presidenciais

Tamanho do texto Aa Aa

É um Irão dividido que vai esta sexta-feira às urnas para uma inédita segunda volta das presidenciais. Os quase 47 milhões de eleitores deverão escolher entre moderação ou extremismo e o resultado apresenta-se renhido.

O candidato preferido entre os mais pobres é Mahmmoud Ahmadinejad. Um dos eleitores diz que vota no ex-presidente da câmara de Teerão e pede-lhe que acaba com a corrupção, a imoralidade e a violação dos valores da sociedade. Ultra-conservador, Ahmadinejad surpreendeu ao chegar à segunda volta. Mas para os reformadores, a vitória não se deve só à imagem de homem humilde e ao discurso de luta contra a corrupção. Acusam o órgão fundamentalista Guardas da Revolução de ter feito campanha por Ahmadinejad, o que é proibido. Ahmadinejad enfrenta Akbar Hachémi Rafsanjani, que personaliza a moderação e abertura do país ao Ocidente. Um discurso que agrada à população citadina e aos jovens. Por exemplo, uma estudante diz que vota em quem defender a liberdade de expressão. O antigo presidente iraniano conta também com o apoio dos reformadores e uma parte do actual governo. Chegou a ameaçar boicotar a segunda volta devido às alegadas irregularidades verificadas no escrutínio na semana passada. Violações da lei eleitoral que estiveram no centro dos avisos do presidente Khatami ao seu governo. As autoridades prometeram agir e detiveram pelo menos vinte e seis pessoas, entre as quais uma importante figura militar, suspeitas de irregularidades eleitorais.