Última hora

Última hora

Albânia elege novo Parlamento

Em leitura:

Albânia elege novo Parlamento

Tamanho do texto Aa Aa

A Albânia procura hoje, através de eleições legislativas, encontrar um rumo para a sua conturbada realidade político-económica. A legitimidade do Estado está hoje em jogo, mas também as aspirações euroatlânticas da nação. A Albânia pretende estreitar laços com a NATO e assinar um acordo de estabilização e associação com a União Europeia, por forma a fomentar a integração na comunidade internacional, depois da difícil transição de um regime comunista para uma economia de mercado que tarda em implantar-se.

Fatos Nano, o actual-primeiro ministro, é um dos favoritos de acordo com as sondagens. Os socialistas, ex-comunistas, de Nano, aparecem ombro a ombro, com o Partido Democrático do antigo presidente Sali Berisha. Por isso, o desenlace deste escrutínio é uma incógnita. O que se sabe é que os dois homens estão demasiado conotados com interesses obscuros e são mostrados mais como líderes de clã, do que como políticos capazes de retirar o país do isolamento a que tem estado votado. É neste ponto que surge Ilir Meta, antigo primeiro-ministro e líder do Movimento de Integração Socialista, creditado com dez por cento dos votos. Meta é visto como um político sério e dedicado à causa pública e poderá ter uma palavra a dizer, num eventual governo de coligação. Dois milhões e oitocentos mil eleitores podem hoje pronunciar-se sobre o rumo que querem para um país, onde um quarto da população vive na pobreza. A acompanhar o sufrágio estão 450 observadores internacionais e 3000 albaneses, por forma a verificar a legalidade do acto eleitoral. O parlamento albanês é composto por 140 deputados. Estão em liça mais de 1200 candidatos em representação de 27 partidos e coligações.