Última hora

Última hora

Cronologia dos atentados de Londres

Em leitura:

Cronologia dos atentados de Londres

Tamanho do texto Aa Aa

Às 08h51, em Londres e em Lisboa, uma bomba explode entre as estações de Moorgate e Liverpool Street. O pânico instala-se. Os serviços de emergência deslocam-se para o local. Polícia e metro de Londres falam de um incidente originado por um corte de corrente eléctrica. Sete pessoas morreram.

Cinco minutos depois dá-se uma nova explosão, desta vez entre King’s Cross e Russel Square. A teoria do corte de corrente eléctrica mantém-se, mas o metro de Londres decide paralisar o serviço e evacuar as estações. A polícia começa a vedar as áreas afectadas pelas explosões. Deflagração faz 21 mortos. Às 09h17, nova explosão desta vez na estação de Edgeware Road. Aqui o engenho atingiu três composições que aguardavam, umas junto às outras, o reinício da circulação. Cinco pessoas morreram, o que perfaz um total de 33 mortos confirmados, de acordo com a Scotland Yard. 30 minutos depois, na Tavistock Place, junto a Russel Square, um autocarro de dois andares ficou praticamente destruído por uma explosão. De acordo com fonte não oficial, sete pessoas terão morrido neste ataque. O encadeamento de explosões em plena hora de ponta abalou a capital. Quem passava a pé pelas estações de metro, nomeadamente de Aldgate, assistia a verdadeiras imagens de horror, com dezenas de pessoas a saírem para a rua completamente ensanguentadas e com as roupas rasgadas. O centro da cidade ficou completamente vedado. Londres mergulhou no caos, devido aos cortes nas principais avenidas, como Edgeware Road. A curiosidade de quem teve a sorte de escapar aos ataques ajudou a instalar o caos, apesar dos esforços da polícia para dispersar as centenas de pessoas que se aproximavam dos cordões de segurança. Os atentados ocorrem menos de 24 horas depois da escolha de Londres como cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos de 2012, razão pela qual uma das prioridades da polícia após a primeira explosão foi a estação de Statford, que se encontra no local onde vai ser construída a cidade olímpica de 2012. Desde o 11 de Setembro, em Nova Iorque, e do 11 de Março, em Madrid, que as autoridades britânicas, convencidas de que um dia Londres também seria atingida, criaram um dispositivo de segurança especial para combater este tipo de ataques. Os simulacros nas estações de metro são frequentes. O último ocorreu no mês passado.