Última hora

Última hora

Atentados semeiam pânico e terror no centro de Londres

Em leitura:

Atentados semeiam pânico e terror no centro de Londres

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de doze horas depois dos atentados de Londres, o número de vítimas não parava de aumentar.

37 pessoas morreram nas quatro explosões que visaram três comboios metropolitanos e um autocarro de dois andares em pleno centro da capital inglesa. Um trágico balanço que se deverá alargar, uma vez que muitos dos 700 feridos estão em estado crítico. As deflagrações começaram antes das nove da manhã e foram ocorrendo ao longo de cerca de uma hora. O dispositivo de emergência foi imediatamente accionado e a circulação do metro interrompida. Durante a evacuação das estações de metro, alguns dos passageiros recolheram imagens da tragédia nos telemóveis. Além das três deflagrações na City, um autocarro de dois andares foi destruído por um quarto engenho explosivo perto de Russell Square. Um acto de terror que, para o chefe da diplomacia britânica Jack Straw, tem as marcas da Al-Qaida. Uma suspeita, que apesar de ainda estar a ser investigada, foi confirmada poucas horas depois num site islamita na internet. Em comunicado, a Organização Secreta da Al-Qaida na Europa reclamou estar por detrás dos ataques e lançou ameaças à Itália e à Dinamarca. Após os atentados, diversos países europeus e os Estados Unidos aumentaram os níveis de alerta contra o terrorismo.