Última hora

Última hora

Agricultores europeus manifestam-se contra reforma do sector açucareiro

Em leitura:

Agricultores europeus manifestam-se contra reforma do sector açucareiro

Tamanho do texto Aa Aa

A favor da produção de açúcar de beterraba, 20 mil agricultores vindos de 21 países da União Europeia – Portugal incluído – manifestaram-se em Bruxelas. Estão contra a reforma do sector, proposta pela Comissão Europeia e que os ministros da Agricultura dos Vinte e Cinco discutem esta segunda-feira.

Um manifestante irlandês diz que há “3700 produtores de açúcar de beterraba na Irlanda. Se estas propostas entrarem em vigor, pode ser o fim da produção de beterraba no país. Não podemos aceitar isso”, afirma. O projecto de reforma propõe, a partir de 2007 e ao longo de dois anos, uma redução de 39% do preço garantido do açúcar, e de 42% no preço da beterraba. Visa também reduzir a produção. O plano de Bruxelas prevê uma compensação de 60% face à baixa dos preços. Mas a proposta da comissária Mariaan Fischer Boel não convence os agricultores. Queixam-se que em dois ou três anos, na Europa, 120 mil produtores de beterraba serão obrigados a abandonar a actividade e os que restam terão rendimentos muito mais baixos. A reforma do sector açucareiro visa colocar a Europa em conformidade com as regras da Organização Mundial do Comércio. Países como o Brasil, que produzem açúcar de cana, acusam a Europa de concorrência desleal. A beterraba açucareira é cultivada em todos os países da União, excepto Chipre, Estónia, Luxemburgo e Malta.